quarta-feira, 22 de janeiro de 2014

10 erros comuns dos professores iniciantes: como evitá-los

Olá colegas!

Durante minha carreira tenho percebido alguns erros comuns em professores iniciantes, porém não foi até há pouco tempo, ajudando a uma amiga a superar o que eu chamo de pecados capitais de um professor, que se me ocorreu compartilhar com vocês algumas posturas que devemos evitar em sala de aula. Vamos lá:

1. Não interagir com o aluno: sei que você já deve ter tido um desses professores que chega a sala de aula, faz um monólogo e não deixa ninguém falar. Por que acontece isso? A resposta é simples, professores que não têm domínio do conteúdo têm medo de perguntas, eles aprendem um roteiro de memória e não podem ser interrompidos pelos alunos porque esquecem a fala. Este é o pior dos erros porque o aluno fica aborrecido, com dúvidas e confuso. A boa notícia é que existe uma solução: ESTUDAR. Para você ser respeitado, tem que respeitar. É uma desconsideração com o aluno não dominar o conteúdo, se você não tem tempo ou sente que não tem vocação para ensinar, pelo bem seu e de seus discentes, tente mudar de profissão.
Uma boa aula é aquela em que existe um diálogo, o professor propõe desafios e os alunos tentam construir um conhecimento através do raciocínio e não mediante a memorização de coisas sem sentido.
Você mais do que preparar uma aula tem que se preparar para a aula. Você pensa uma aula, porém ela pode tomar outro caminho, evite aulas rígidas, deixe que a flexibilidade entre em sua vida.

2. Pensar que o aluno é uma folha em branco: este pecado é uma ramificação do anterior, o professor não quer que o aluno faça perguntas difíceis o proponha conceitos que ele não domina, então chega à sala de aula dizendo: um substantivo é...., quando seria bem mais legal levar algumas imagens de substantivos, ir perguntando o nome das coisas representadas nas imagens: casa, professor, rio, etc. e perguntar aos alunos se sabem que palavras são essas?  O que significa que essas palavras sejam substantivos?... Não subestime a seus alunos, aproveite tudo o que eles já sabem e ajudá-los a continuar construindo conhecimento.
  
3. Não estimular a curiosidade do aluno: sempre detestei professores que chegavam à sala de aula dizendo: hoje vamos a aprender o que são os adjetivos. Pelo contrário adorava aquelas aulas em que era um mistério o que aprenderia. Tente que suas aulas não sejam previsíveis, faça com que os alunos sintam curiosidade pelo que irá acontecendo. Minha recomendação é fechar a aula com um resumo para que aquele aluno que ficou confuso não vá para casa com dúvidas, assim vocês lhes diria: na aula de hoje aprendemos o que são adjetivo.... Alguém tem dúvida?

4. Desorganização das ideias: sabe aquele professor que está falando de cachorro e de repente começa a falar do fim de semana sem terminar a ideia anterior? Se você é um desses professores tente evitar esta postura. É importante terminar as ideias, deixar as coisas claras antes de pular para outro assunto.

5. Aulas monótonas: são aquelas em que o professor só fala, lê ou pede para os alunos ler, etc. Uma boa aula é, baixo meu critério, aquela que mistura atividades diversas que conspiram para alcançar um mesmo objetivo. Procure usar imagens, textos, músicas, curtas-metragens, etc.

Atenção, não se trata de levar mil e cem atividades sem conexão só para preencher o tempo da aula, cada atividade deve ser planejada e contribuir com o objetivo da aula.

6. Explicações confusas e complexas: estes são os professores que eu chamo de “profesores neblina” porque suas explicações são tão complexas que o aluno não consegue entender nada. Uma boa explicação deve de ser clara, precisa e simples. Por exemplo, se você quiser explicar a seu aluno de escola de idioma o que são os falsos amigos não deve empregar esta linguagem: “falsos amigos costumam ser palavras derivadas do latim, as quais aparecem em idiomas com morfologia semelhante, e que têm, portanto, a mesma origem.”
Seria bem mais simples se você falasse: “falsos amigos são palavras que se escrevem igual ou semelhante em espanhol e português, mas têm significados diferentes.
Fale com seus alunos na linguagem deles e terá mais êxito.


7. Medo de errar: sempre tenho dito que como melhor se aprende é ensinando. Você não tem que saber tudo, quando você ensina, você também deve estar aberto a aprender. Imagine que você está ensinado as frutas e explica que “morango” é “fresa”, porém há um aluno que tem um amigo argentino e ele diz que não, que é “frutilla”. Quem tem a razão? Os dois, mas você não é obrigado a saber como se diz uma coisa em todo país, assim que seria incorreto dizer para o aluno que ele está errado, a resposta correta seria: eu tenho certeza de que “morango” é “fresa”, mas talvez também se conheça como “frutilla”, na próxima aula lhe confirmo se é assim ou não.
Faça esta frase sua: “Yo solo sé que nada sé – Sócrates”.

8.  Não cumprir o prometido: se você prometeu para o aluno que ia esclarecer uma dúvida ou trouxer alguma coisa, não pode deixar de cumprir sua palavra porque a próxima vez o aluno não vai acreditar em você.

9. Dar as costas para os alunos: nunca dei as costas para os alunos, nem mesmo quando escrevendo, mantenha sempre contato visual, isto vai lhe permitir detectar se os alunos compreenderam, se alguém tem dúvida, mas morre de medo de perguntar, se os alunos estão gostando das atividades ou não, etc. No caso dos colégios evita indisciplinas.

10. Ficar estático na sala de aula: há professores que ficam sentados ou parados como uma vela na sala de aula. Isso está muito errado. O professor deve mover-se pela sala, ir verificando o trabalho dos alunos. Deve apoiar a voz nas expressões faciais e os movimentos corporais. E muito importante ter domínio da própria voz porque ela não pode ser linear, devem existir tons diferentes: de curiosidade, de entusiasmo, de interrogação, de exclamação, etc. Isto ajuda a que a aula seja mais dinâmica e o aluno não durma.

Um pouco de humor:


Bom isso é tudo por hoje, se você conhecer outros pecados capitais compartilhe conosco.

Boas aulas!

7 comentários:

  1. Olá! Estou muito entusiasmada com seu blog. Na próxima semana iniciarei minhas aulas com alunos de ensino médio e sinceramente estou extremamente insegura principalmente por não ter domínio da língua para me comunicar. O que me sugere?

    ResponderExcluir
  2. Hola Andréia,

    Te sugiero confiar en ti y prepararte muy bien para la clase. A los estudiantes de enseñanza media no les necesitas hablar en español, le explicas el contenido de español en portugués y solo tienes que hablar en español una que otra palabra o frase.

    Mucha suerte y un abrazo!

    ResponderExcluir
  3. Hoje li pela primeira vez seu blog, gostei bastante, espero que continue publicando!

    ResponderExcluir
  4. Estarei iniciAndo aulas neste início de ano para as turmas do 6°ao 3 ano em uma escola particular. Estou bem ansiosa pq não tenho experiências como professora de espanhol. Como deve ser a conversação com eles. Posso falar em português?

    ResponderExcluir

Sua mensagem ao ser recebida ficará aguardando aprovação. Volte em breve que terá resposta. Obrigada por participar do blog!