domingo, 1 de dezembro de 2013

Seleção do material didático - Curso de formação para coordenadores pedagógicos em escolas de idiomas


Seleção do material didático (livro)

Selecionar um material didático é uma tarefa difícil e de grande responsabilidade não só para o coordenador como para os professores. As consequências de uma má seleção afetam tanto a parte pedagógica quanto a financeira da instituição.

As escolas de idiomas franqueadas têm um material didático fixo e próprio, porém, escolas independentes precisam selecionar um livro didático que serva de esqueleto para o curso. Esse material didático deve ser mudado, pelo menos, de quatro em quatro anos porque os textos vão ficando obsoletos.

Selecionar um material didático adequado é fundamental para o êxito do curso. Na hora da seleção há vários aspetos que devem ser analisados:

- O livro segue as pautas do Marco Comum Europeu de Referência?
- O livro se corresponde com as necessidades de meus alunos?
- O livro se adéqua á metodologia praticada na escola?

É comum que as escolas nem saibam a metodologia que seguem, todas repetem a mesma coisa: “minha escola segue uma metodologia comunicativa, nosso foco é que o aluno aprenda falar”.

Então quando o aluno chega à sala de aula se tropeça só com regras gramaticais, repetição de frases, tradução português – espanhol etc. Nesse momento o cliente sente grande frustração e cancela o curso. Saiba que todos aprendemos de formas diferentes, existem alunos que gostam de gramática, outros de repetir, outros de conversar. Você deve definir a metodologia da sua escola para ser sinceros com eles desde o primeiro momento e evitar assim a frustração do aluno.
Segue um slide com as principais metodologias, isto pode ajudar a identificar qual é aquela que sua escola está usando.
Importante destacar que, de forma geral, não existe uma metodologia pura e sim a fusão de características de todas.


             

Marco Común Europeo de Referencia para Lenguas

O Marco Común Europeo de Referencia para Lenguas (MCER) supõe um ponto de referência a respeito da metodologia de aprendizagem e ensino das línguas vivas. Este documento proporciona uma base comum para a elaboração de programas e avaliação docente em Europa. Surgido por recomendação do Conselho Europeu, este marco é uma ferramenta para medir os conhecimentos de um idioma da maneira mais objetiva possível, de forma que os diferentes credenciamentos linguísticos sejam similares. Para isso se estabelecem três níveis que se dividem, por sua vez, em subníveis para se chegar uma escala mais precisa com um total de seis níveis:
• A1 Usuário básico
• A2 Usuário básico
• B1 Usuário independente
• B2 Usuário independente
• C1 Usuário competente
• C2 Usuário competente

Por que é importante seguir o Marco Común Europeo de Referencia para Lenguas?
Porque muitos de nossos alunos vão querer se apresentar à prova DELE, e ela se baseia nesse marco.
Veja tudo sobre o Marco Comum Europeu de Referência aqui.

Análise e Avaliação

No processo de seleção de materiais didáticos desempenham um papel fundamental a análise e a avaliação.

A avaliação visa à compreensão do material, suas características, seus objetivos, entre outros aspectos. Em resumo, é a descrição do material sem fazer julgamento de qualidade.
A avaliação é o julgamento do material com fins de adoção segundo as características, necessidades e objetivos de nosso público alvo. Busca-se com este processo identificar as vantagens e desvantagens do material. 

Este é o momento de verificar se:
1. Os objetivos do livro se correspondem com as necessidades dos alunos e com o contexto de utilização.
2. O livro inclui material e ocasiões para trabalhar habilidades integradas.
3. A proposta didática amolda-se a diferentes estilos de ensino e aprendizagem.
4. O livro distribui adequadamente os itens gramaticais segundo níveis compatíveis de competência linguística, trabalha variedades sociolinguísticas, estilo, fatores sócio-culturais e contextuais.
5. O vocabulário é bem selecionado e dosado.
6. Atividades de leitura englobam material suficiente, são adequadas para o nível e interesses de seus estudantes.
7. O livro segue as pautas do Marco Comum Europeu de Referência.
8. O livro se adéqua á metodologia praticada na escola.

A avaliação tem três etapas visíveis:

Pré-uso: é a analise e a avaliação prévio do material tomando em conta as variáveis mencionadas e aquelas que você quiser acrescentar.
Em uso: você deve selecionar um grupo de alunos para testar o material e analisar a aplicação do professor e recepção do aluno. Isto é muito importante porque se os alunos não aceitam o material e você substitui o velho antes de testar o novo você pode trazer prejuízos financeiros grandes à empresa.
Pós-uso: adotar o material porque os alunos o acolheram bem não significa que este não precise seguir sendo avaliado. Você pegou uma amostra, essa não é toda a realidade da escola, dê seguimento e se tiver coisas que devem ser acrescentadas ou retiradas, você deve adaptar o material e de isso falaremos no próximo artigo.

Neste processo o professor é o melhor aliado da coordenação, a experiência dele e o conhecimento profundo da língua devem ser bem aproveitados para poder selecionar um bom livro didático.


O planejamento


Este é o momento em que o coordenador organiza o semestre. Veja os principais aspetos que você deve ter presente na hora de montar seu planejamento:

- Número de grupos que irão abrir.
- Horário das aulas.
- Número de aulas disponíveis.
- Distribuição dos grupos por sala de aula.
- Número de horas aulas no semestre segundo os feriados.
- Distribuição conteúdos e horas aulas.
- Workshop
- Reuniões
- Atividades extras

Muitos coordenadores realizam o planejamento sozinhos, isso é um grave erro, os professores têm muitas ideias e ninguém melhor que eles para determinar qual unidade do material leva mais tempos para ser trabalhada e qual menos.

Recomendo fazer uma reunião para determinar, segundo os feriados, a distribuição do conteúdo pelas horas aulas que terá o semestre. Também é um bom momento para determinar quantos workshop vão a ser realizados, quais as datas que farão atividades extras, possíveis concursos ou sorteios, etc.

Da organização desta primeira etapa depende o êxito do semestre. Dedique o tempo necessário a ela e no resto do semestre você poderá se dedicar a supervisar tudo porque não estará preocupado em criar coisas de última hora.

Bom, isso é tudo por hoje, até...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sua mensagem ao ser recebida ficará aguardando aprovação. Volte em breve que terá resposta. Obrigada por participar do blog!