quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Introdução - Curso de formação para coordenadores pedagógicos em escolas de idiomas

1. O papel do coordenador pedagógico

O coordenador pedagógico é o mediador entre professor-aluno, professor-pai e professor-empregador. Parece uma função simples, mas não é.
Se você prestar atenção na maioria das escolas de idioma, o coordenador não para resolvendo problemas o tempo todo. Então você poderia pensar que ele é como um bombeiro que apaga incêndios e salva vidas, mas eu pergunto: será que um bom coordenador apaga incêndios? A resposta claramente é NÃO. Um bom coordenador é aquele que evita o incêndio com ações planejadas, é aquele que a equipe de professores, os alunos, os pais e o empregador enxergam como organizado, confiável, empreendedor, proativo e principalmente como líder. 
Segue um resumo das atividades que deve realizar um coordenador pedagógico, estas estão estreitamente relacionadas com o papel que este desempenha dentro da escola:
- Mediar entre alunos, pais, professores e empregadores.
- Planejar, organizar e administrar os recursos humanos, a abertura de turmas e a distribuição da carga horária.
- Elaborar projetos de cursos que se correspondam com as necessidades do público alvo.
- Selecionar, criar e organizar o material didático para tornar os cursos mais atrativos.
- Selecionar professores, capacitá-los e motivá-los a uma constante atualização.
- Acompanhar o percurso dos alunos e professores, escutar ambas partes e solucionar problemas que eventualmente possam surgir.
Como coordenador de uma escola de idiomas você deve ter domínio da metodologia seguida pela instituição e dos idiomas que a escola oferece. Sabemos que esta segunda parte é difícil, o coordenador, geralmente, apenas domina o idioma inglês e o curso de espanhol fica quase abandonado. Esse é um dos maiores problemas das escolas de idioma que analisaremos no decorrer do curso.

2. Características do coordenador pedagógico

- Ser um líder é uma das principais características de um bom coordenador. Na literatura, alguns autores defendem a hipótese de que um líder pode se formar, porém, sou da opinião de que se nasce líder. Você pode até possuir todas as características que citarei a continuação, mas se você não for um líder nato o barco não vai andar de forma espontânea.
- Ser organizado é, em minha opinião, a segunda característica mais importante. O êxito de seu trabalho, como professor ou como coordenador, vai a depender da organização e o planejamento que você faça de tudo. Evitam-se problemas, perdas materiais, financeiras, humanas e de tempo através de uma boa organização. Em outro momento falaremos de como deve organizar-se um coordenador, já temos falado  várias vezes da importância deste tópico como professores. Como coordenadores as conclusões são as mesmas: se você não é um professor organizado tampouco será um coordenador organizado.
- Ter habilidades comunicativas é fundamental, você é um mediador, tem que aprender a escutar mais do que falar, é através da comunicação que você fica perto ou longe do recurso mais importante que você tem dentro da escola: os professores. É mediante a comunicação que você evita perder alunos, que conhece as necessidades dos clientes e que encontra soluções para possíveis dificuldades que possam surgir no caminho. É a comunicação a que nos distingue entre o resto das espécies de animais. Faça uso dela.
- Um coordenador deve ser empreendedor, proativo e criativo, ele precisa ter visão para se antecipar aos problemas, para elaborar soluções eficientes e eficazes, para estudar o mercado, para perceber os novos nichos e oportunidades, assim como para poder sobreviver à competência.
- Precisa muito gostar de trabalhar com pessoas, você vai ficar rodeado de pessoa (professores, alunos e pais), muitas vezes pessoas com problemas, portanto, a humanidade, a solidariedade e o amor ao próximo são características essenciais para ter êxito como coordenador. Você tem uma segunda família: os professores. Eles são seus irmãos, todos devem cuidar-se. Os professores não são descartáveis, você não se desfaze de um irmão quando está em dificuldades, pelo contrário, você fica a seu lado. Cuide a sua família que ela cuidará de você.
- Conhecimentos linguísticos e pedagógicos. É impensável que um coordenador careça disso, precisa conhecer a metodologia da escola, ter um domínio pleno de um língua e parcial das outras que sejam oferecidas pela escola. 
- Conhecer e dominar sua função, assim como as normas e regras estabelecidas pelos donos da escola.
- Domínio da tecnologia. Vivemos em um mundo que muda constantemente, se a escola não evoluciona, morre. A escola é um sistema, se ela não atinge as expectativas dos clientes e outro sistema oferece aquilo que o cliente quer, vai chegar um momento em que você, como escola vai deixar de existir. É impressionante como ainda há escola que nem DVD têm, só a lousa e no máximo uma rádio. Sabemos que os recursos financeiros não ficam em nossas mãos quase nunca, mas como bons mediadores devemos saber comunicar aos nossos empregadores aquilo que a escola precisa para ficar à altura da competência e das necessidades dos clientes. Definitivamente, a tecnologia é uma dessas necessidades.

3. Cultura organizacional

Toda instituição tem uma personalidade, uma forma de ser que a distingue das outras, uma cultura organizacional com base em um conjunto de crenças, valores e costumes compartilhados por todos. Esta cultura responde a normas que regulam a vida da instituição.
Observe os elementos dinâmicos da cultura organizacional: 

- Fundadores: são eles os que estabelecem as normas e são os principais responsáveis na formação da cultura organizacional da escola, mas você como coordenador tem a função de mediar e negociar com os fundadores os valores que deve abraçar a empresa para ter um melhor desempenho com relação à competência e a uma maior aceitação por parte dos clientes.
- Estrutura: Já você trabalhou em uma empresa na que ninguém sabia nada: nem o coordenador, nem a secretária nem os professores; todos chegavam atrasados; o professor somente sabia os grupos que tinha quando ia começar o curso  e os alunos nem sabiam a sala de aula em que iam a trabalhar?
Eu tenho certeza que sim. Esse comportamento, assim como o oposto, são o reflexo da forma de dirigir uma empresa que repercute na estrutura, organização, planejamento e controle dos recursos humanos e financeiros. Geralmente as escolas de idioma têm uma estrutura hierárquica, a base da pirâmide não tem voz nem voto, somente recebem e executam ordens. Esse modelo de empresa está caducando, a sociedade está exigindo empresas menos autoritárias com profissionais mais responsáveis e com mais liberdade, com grande dedicação ao cliente, empresas que procuram: uma qualidade total,  melhoras e inovações contínuas e trabalho em equipe.
- Estilos de direção: os estilos de direção são os que modelam a estrutura da empresa, como já disse a liderança autoritária está fora de moda, atualmente, você como coordenador deve ser um líder democrático que ganhar a confiança de seus professores com conhecimento, respeito, trabalho em equipe, etc. Um líder democrático delega tarefas e acompanha os resultados, você não pode fazer tudo sozinho como  faz o líder autoritário, isso é um erro que fere a confiança, a participação e o entusiasmo da equipe de professores, você precisa confiar em sua família. Em minha opinião o pior coordenador é aquele que diz que tudo está bem, que não controla nada, que deixa que todos façam qualquer coisa, que não orienta aos professores e que quando a escola pega fogo a culpa é do coitado professor que termina pagando os pratos que foram quebrados. 
- Direcionamento estratégico: você deve observar constantemente à competência e os resultados que eles e vocês estão tendo para modificar mediante estratégias os serviços oferecidos, assim atingirão com eficiência e eficacia as metas da instituição. Recomendo, mais que captar novos clientes, manter a fidelidade dos que já foram conquistados. No decorrer do curso veremos algumas estratégias para captar e manter clientes.
- Talento humano: como coordenador é você quem decide os valores e habilidades que devem ter os professores que farão parte da equipe docente segundo a cultura organizacional da escola. É comum encontrar escolas contratando professores acima da hora, isto é produto de um conjunto de fatores que discutiremos em outro artigo. O problema é que esta atitude somente deixa clientes insatisfeitos e professores frustrados que podem se achar incompetentes quando o que realmente aconteceu é que não compartilhavam a cultura da escola.
- Sistema de apoio: a escola deve ter válvulas de escape, deve ter sempre um plano B, C e D... A escola como sistema não pode estar isolada porque morre, você é um dos principais responsáveis por mantê-la viva.
- Autonomia individual: já você trabalhou em escolas em que o professor não tem autonomia nenhuma dentro da sala de aula? Isso está muito errado, o professor deve ser criativo, aportar ideias novas sempre que não fujam muito da metodologia e cultura da escola. Como coordenador você precisa estimular a autonomia dos professores, fazer que eles se sintam importantes e parte da família, está é a melhor recita para ter uma equipe competente e feliz. Faça valer a voz de seus professores.
- Sistema de reconhecimento e recompensa: as escolas de idioma querem professores felizes e disponíveis 24 horas do dia, que trabalhem muito e bem etc., porém a realidade é que a maioria delas nem registram em carteira aos funcionários. O coitado do professor tem que trabalhar em 4 ou 5 escolas para completar a renda, as escolas tampouco  não pagam feriados nem férias porque parece que em esse período o professor não paga contas. Não é bem assim, esse é um dos principais motivos pelos que as escolas de idioma mudam de professor como de sapato e isso é muito ruim para a cultura da empresa. Deve-se reconhecer e recompensar aos funcionários. Se você quer funcionários que se sintam parte da família, realize ações que façam isso acontecer. No decorrer do curso analisaremos algumas formas de reconhecimento e recompensa que podem lhe ajudar a manter a sua equipe unida por vários anos.
- Estímulo ao risco: a empresa precisa inovar, não pode ter medo ao fracasso. Não podemos esperar resultados diferentes se fazemos sempre as mesmas coisas. Há que elaborar projetos sempre mostrando os resultados esperados para que os donos aprovem novos produtos e serviços que podem ser de benefício para todos. 
- Valores e crenças compartilhadas: Todos os membros da empresa são importantes desde os donos até as faxineiras. Todos devem sentir-se parte da empresa, compartilhar os mesmos valores e crenças, ser somente um.
Observe o resultado de uma empresa com uma boa cultura organizacional: 

Você como líder influencia diretamente nos valores culturais e éticos ao articular com claridade uma visão dos valores organizacionais em que os funcionários podem acreditar: honestidade, trabalho em equipe, produtividade, pontualidade, comprometimento, confiança, responsabilidade e eficiência podem ser alguns deles.


4. Critérios para a abertura de turmas
Basicamente há cinco critérios que você deve seguir ao abrir turmas novas e principalmente ao unir grupos quando ficam muito pequenos:
- Idade: você pode formar turmas heterogenias, mas tome muito cuidado, já trabalhei em um grupo com um aluno de 11 anos e um idoso de 60, imaginem o dilema. Quando você forme turmas tenha presente não colocar junto pessoas com tanta diferença de idade porque os interesses são muito diferentes, as atividades, as músicas, os gostos, tudo é quase oposto, isto vai prejudicar o desenvolvimento do grupo como um todo.
- Quantidade: sabemos que escolas de idiomas, ás vezes, têm mais de 15 alunos por grupo. Isso ao final não é bom o aluno termina não aprendendo e trancando a matrícula. O número ideal é seis e é admissível até oito. Dei preferência a números pares. Um número reduzido de alunos aumenta a qualidade do curso e a satisfação do cliente que não só vai ficar no seguinte semestre, também vai recomendar a escola.
- Nível do aluno: quando era professora de escolas de idioma sofria muito quando tinha alunos com níveis muito diferentes. Colegas, façam provas de níveis, se o aluno não se encaixa em nenhum grupo é melhor deixá-lo ir, não coloque ao cliente em qualquer grupo por não perdê-lo porque vai terminar perdendo o grupo inteiro. Não há nada pior do que ter um aluno "perdido" dentro da sala de aula e você ter que repetir 10 vezes coisas que o grupo original já sabe, cria desmotivação. O contrário também é muito ruim, um aluno que sabe muito em um grupo menos avançado frustra aos colegas porque geralmente fala muito e os demais ficam sem graça e o novo aluno pode sentir que não está aprendendo nada. Às vezes, menos é mais.
- Horário e dias da semana: geralmente todos querem estudar no mesmo horário, as turmas acostumam ser segunda e quarta, terça e quinta, sábado e alguns grupos na sexta-feira. Quando são dois dias é uma hora e quinze minutos de aula por dia e quando é só um dia são duas horas e meias. Você deve abrir diferentes horários e negociar com os alunos o melhor para eles.
- Professores: os alunos sempre querem saber de onde é o professor, se tem experiência, se tem viajado a vários países, etc. Se você tiver mais de um, pode criar o perfil deles e colar em alguma parte da escola com depoimentos de antigos alunos. Assim eles podem escolher segundo seus interesses. Também pode oferecer aulas demonstrativas, são bem legais para os alunos ficar empolgados em começar o curso.
Bom, isso é tudo por hoje. Espero que seja de ajuda. Até a próxima semana! Deixe sua opinião e experiência nos comentários. A experiência de você pode ser de ajuda para outras pessoas.

4 comentários:

  1. Olá, boa tarde!
    Sou apaixonada pelo idioma e adorei as dicas!
    Vcs estão de parabéns pelo blog!
    Bjs
    Joana

    ResponderExcluir
  2. Parabéns! seu blog é perfeito!

    Abraço!!

    ResponderExcluir

Sua mensagem ao ser recebida ficará aguardando aprovação. Volte em breve que terá resposta. Obrigada por participar do blog!