sábado, 11 de agosto de 2012

Como evitar a evasão dos alunos de língua espanhola?

Deixar uma fórmula exata de como evitar a evasão dos alunos que estudam língua espanhola, já seja particular ou em escola de idiomas, é muito pretensioso e não é meu objetivo neste artigo, porém acredito que identificando as principais causas podemos tomar medidas preventivas que ajudem a evitar ou diminuir a perda de alunos.

Todos sabemos que apesar do Brasil estar rodeado de países que falam espanhol, o interesse e a procura pelo estudo formal da língua é ínfimo com relação ao inglês, ao francês, etc., e tal vez uma das causas seja a semelhança entre as línguas. A isto podemos somar que cada dia a concorrência é maior e reter nossos alunos está sendo mais importante que encontrar novos clientes.

Durante o período que levo em sala de aula eu consegui identificar alguns dos principais fatores que contribuem no aumento da evasão escolar e mesmo que muitos donos de escola acreditem que a responsabilidade 100% é do professor, a verdade é que este seria o menor dos fatores que influencia na decisão de desistir.  

As razões apresentadas a seguir são condizentes com a realidade das escolas de idioma. 

- Decepção com o curso/professor: acontece que muitas vezes os alunos entram e não sabem em que consiste o curso, depois de um tempo percebem que não é aquilo que eles recriaram em suas cabeças ou não gostam do material e terminam trancando a matrícula. Também acontece a desilusão imediata, os alunos acham que vão falar espanhol depois da quinta aula, quando isso não acontece, muitos optam por seguir falando portunhol, por outro lado temos aquilos que acham que espanhol e português é a mesma coisa e quando começam a estudar, principalmente, os tempos verbais, desistem. Um último fator é que o aluno acha que vai aprender espanhol dando uma ou duas horas por semana de aula, em outras palavras, o professor é o responsável por seu aprendizado, quando a realidade é que 80% do esforço é do aluno e 20% do professor. Dependendo do caso, você deve falar que aprender uma língua leva tempo e esforço e que o sucesso depende muito da importância que eles acarretem ao estudo individual.

O professor é o menor dos fatores, porém não deixa de ser um, os alunos gostam de professores que transmitam segurança e segurança somente é adquirida com conhecimento, não só do conteúdo senão também dos métodos usados em sala de aula. É usual, que muitos professores peguem um conjunto de atividades sem foco em um objetivo; que as atividades tratem do pretérito indefinido, por exemplo, não significa que contribuirão com o objetivo da aula, elas devem girar ao redor de uma meta, assim que as atividades não podem ser aleatórias para preencher o tempo da aula. Isso dá trabalho e requer de tempo que não nos sobra, recomendo guardar suas atividades em um arquivo para usar em outra ocasião.

A maior barreira entre aluno-professor é a afetividade, não importa quanto você saiba, se você não for uma “gracinha” não vai se encaixar. Há uma tendencia, especialmente, em escolas de idioma, a se auto-enganar, o aluno chega cansado do trabalho e acha que só estar na aula garante aprender e se você não for uma "gracinha" eles ficam aborrecidos. Por esse motivo, garanta uma boa relação com os alunos.

Acredito que se as escolas esclarecessem em um início a metodologia que seguem, apresentassem o material a ser usado e tivessem uma coordenação preventiva e não apaga fogo, isto é, se o coordenador supervisionasse o  trabalho dos professores, o número de alunos que abandonam o curso diminuiria bastante.

- Colisão de horários entre curso e a atividade profissional: este fator faz que percamos muitos alunos que, em ocasiões, não conseguem encaixar os horários e terminam esgotados, sentem que não conseguem levar tudo e terminam deixando de lado a língua espanhola. 

Uma boa alternativa para este problema são as aulas por Skype, o aluno não precisa perder tempo de locomoção e pode se encaixar no horário mais adequado para ele.

- Falta de dinheiro: este é um dos maiores problemas, quando dinheiro falta o primeiro a cortar é o curso de espanhol porque aparentemente é “fácil” e dá para aprender sozinho. Contra isso, muito pouco você pode fazer porque os alunos, geralmente, não reconhecem que é esse o problema. Se é aluno particular, e existe uma boa relação de confiança pode que lhe comente a situação e você possa chegar a um acordo para não perdê-lo.

- Má coordenação pedagógica: este é o maior fator de evasão. Cansei de trabalhar em escolas que faziam atrocidades com o curso, que não sabiam orientar seus professores, que desconhecem a língua porque geralmente os coordenadores pedagógicos só falam inglês e terminam desvalorizando o curso de espanhol dentro da escola, em fim, são coisas que vocês devem conhecer tão bem quanto eu, mas que desafortunadamente as culpas terminam recaindo sobre as costas do professor.

A professora Laura fez uma boa contribuição que também entra na categoria de má coordenação: grupos muito grandes, grupos mistos com integrantes de faixas etárias bem diferentes, contratação de professores sem qualificação, etc...

Neste aspeto, como professor, a única coisa que você pode fazer é cair fora, procure uma escola que valorize seu trabalho.

Por último, para manter seus alunos particulares, prepare sua aula com esmero, dedicação e muito amor, estabeleça uma boa relação pessoal e faça promoções nos principais meses de evasão que vão de dezembro a fevereiro.

Boas aulas!

4 comentários:

  1. Olá! Leciono espanhol no CELEM - Escola pública do PR (Curitiba). Concordo com sua análise. No entanto, acredito que há outros fatores também. Por exemplo: a heterogeneidade de faixa etária. Ensinar um adolescente é diferente de ensinar um adulto. Turmas mais homogêneas quanto às idades dos alunos tendem a ter um menor índice de desistências. Outra questão é matricular um número grande de alunos para uma mesma turma. Não funciona. Entendo que o ensino de língua estrangeira não deve ter mais do que 15 alunos por turma, pois caso contrário e na impossibilidade de dar uma atenção mais direta a cada um, a desistência aumenta. Trabalhar com adolescentes e primeira fase da juventude é também complicado, pois muitos alunos vão para o curso de espanhol (por exemplo) só para namorar. Se o professor chama a atenção dos namoricos em sala, na aula seguinte o casal já não aparece mais no curso. Acho que o uso da Internet como ferramenta de ensino- aprendizagem é bastante motivador e pode contribuir para manter os alunos no curso. É preciso explorar melhor isso. Bom,... Como gostaria de encontrar a fórmula exata para zerar a evasão do curso de língua espanhola!!!... Grande abraço, Laura Jesus.

    ResponderExcluir
  2. Muchas gracias Laura por la colaboración. Realmente esos factores también influyen. Gran abrazo!

    ResponderExcluir
  3. Concordo com a colega Laura e acrescento mais um fator... "O mito que falar espanhol é só enrolar a língua" somado a alunos fracos enquanto estudantes e um programa de tempo do professor e aluno que não permite preparar o aluno para o ensino. Estes fatores fazem com que o aluno leve um choque ao descobrir que espanhol é língua estrangeira e que como tal há que se dedicar.
    Tenho trabalhando essa questão e a partir de então diminuiu as evasões.

    Besos de esta profe

    ResponderExcluir
  4. Obrigada Simone pela colaboração!!!! Beijos!!!!!!!

    ResponderExcluir

Sua mensagem ao ser recebida ficará aguardando aprovação. Volte em breve que terá resposta. Obrigada por participar do blog!