terça-feira, 22 de outubro de 2013

Atividade para trabalhar ditados populares em espanhol

Olá colegas!

Os ditados populares fazem parte da cultura dos povos, o estudo destes é fundamental para que os alunos aprendam a comunicar-se no dia a dia já que os provérbios nascem dos integrantes do povo e passam de geração a geração. Hoje vou deixar uma pequena atividade só para não perder o costume. Nível avançado do B2 ao C2.


Passo a passo:


1. Entregar a seguinte imagem aos alunos e pedir que tentem organizar as palavras para formar ditados populares.


2. Você verifica os resultados obtidos pelos alunos e corrige aqueles que não estejam corretos. Depois entrega o significado de cada ditado para que eles relacionem o significado com o ditado popular.

Respostas:

- A caballo regalado, no se le mira el diente: este refrán recomienda aceptar los regalos de buen grado y sin poner reparo alguno, pues se considera descortés el analizar exhaustivamente la calidad del obsequio, así como resaltar sus defectos o fallos.

- Perro que ladra, no muerde: se dice cuando quienes amenazan y se muestran coléricos no son los más peligrosos, pues hacen poco o sólo bravatas.

- En boca cerrada, no entran moscas: muestra la utilidad de estar callado, pues el silencio excusa muchas necedades.

- Al que madruga, Dios lo ayuda: recomienda ser diligente para para tener éxito en las pretensiones, en el trabajo.

- En casa del herrero, cuchillo de palo: advierte que suele faltar alguna cosa en el lugar donde es natural o fácil hacerla o conseguirla. También se emplea cuando los hijos no siguen la misma vía profesional de sus progenitores.

- En todas partes se cuecen habas: hay problemas o disgustos en todas partes y circunstancias.

- Al mal tiempo, buena cara: Se puede emplear en sentido literal (el tiempo atmosférico) y metafórico. Referido al físico humano, aconseja no hacer notar los gestos que pueden reflejar nuestra decepción ante cualquier suceso. Referido al comportamiento, recomienda mantener el temple y no desanimarse cuando se presentan contrariedades y momentos difíciles, pues, pese a no poder cambiar la situación, se puede cambiar la actitud.


3. Coloque os alunos em dupla e peça que criem uma situação, uma pequena conversação na que se use a expressão. Pode dar um ou dois ditados para cada dupla. Depois eles devem encenar os pequenos diálogos.


4. Volte à imagem e peça para ordenar novamente os ditados e depois para explicar o significado de cada um deles.

Atividade relacionada

Isso é tudo por hoje, boas aulas!!!

sábado, 19 de outubro de 2013

O processo de Seleção - Curso de formação para coordenadores pedagógicos em escolas de idiomas

Processo de seleção

No artigo anterior vimos que toda instituição possui uma cultura organizacional que influencia em todos os processos que se desenvolvem na empresa. O processo seletivo é um deles.
É durante o processo de seleção que a cultura da instituição deve estar mais presente para diminuir os riscos de contratar a um professor que não é compatível com as características da escola.
Ao contratar um novo funcionário, a empresa está apostando que a pessoa irá agregar valor por meio de suas habilidades e seus conhecimentos. Isto é, está tentando adivinhar o que vai acontecer no futuro. Para diminuir a probabilidade de errar, a empresa deve investir no Processo de Seleção.

O que é um processo de seleção?
É uma série de passos específicos que se realizarão para decidir quem deve ocupar uma vaga. Os passos do processo de seleção podem variar de acordo com a realidade de cada escola, há escolas que somente fazem entrevista, ou só olham o currículo do candidato, há outras que fazem provas e finalmente estão aquelas que realmente realizam um processo de seleção adequado, são essas as escolas que estão no grupo de escolas de êxito. Você quer que sua escola esteja nesse último grupo? Então siga lendo...

Etapas do processo de seleção de professores


1. Descrição do perfil do candidato que necessitamos

Para encontrar um professor coerente com o perfil da vaga oferecida, primeiramente você deve definir quais as características que esse candidato deverá ter. Essas características estão estreitamente ligadas à cultura da escola. Com relação a este passo podemos definir seis aspetos muito importantes que não podem faltar à hora de descrever o perfil do candidato que queremos:

- Idade (entre X e Y): cada escola decide o tipo de professor que deseja, algumas preferem professores jovens porque podem se adaptar melhor às tecnologias, não fazem resistência às mudanças, geralmente são bem dinâmicos e inovadores, etc. Outras preferem pessoas mais adultas porque inspiram mais respeito e conhecimento, geralmente têm mais experiências, etc., e há algumas que não se interessam pela idade sempre que o professor tenha um bom domínio da língua. Atenção, esses são estereótipos criados pela sociedade, não significa que uma pessoa de 40 anos não goste de mudanças e que um jovem não seja responsável.
- Origem (Nativo ou não): há escolas que preferem professores nativos porque os próprios alunos ficam mais empolgados, outros preferem professores brasileiros com formação na área ou vivências no exterior e para alguns não faz a menor diferença. Em minha opinião cada alternativa possui vantagens.  Os nativos falam naturalmente, porém nem sempre têm domínio do conhecimento teórico, são professores que aprendem pelo caminho, e geralmente não dominam o português. Os professores brasileiros têm como vantagem que aprenderam a língua, então têm manhas que podem usar a favor da aprendizagem de seus alunos, também podem fazer analogias com o português mais facilmente, o maior problema é que resulta difícil encontrar professores brasileiros que dominem 100% a segunda língua. É recomendável colocar professores brasileiros nos primeiros níveis e nativos nos níveis avançados. Isso não é uma receita, depende de cada professor, conheço professores brasileiros formados que dominam melhor a segunda língua que qualquer nativo. São simplesmente alternativas que tenho observado nas diferentes escolas em que já trabalhei.
- Formação (Graduado ou não, em que área?): escolas de idioma geralmente não têm muito em conta este elemento e só exigem que o professor domine a língua. Em minha opinião, é de peso que o professor tenha alguma formação ou que pelo menos pretenda se atualizar no futuro próximo.
- Experiência (Tem ou não, quanto tempo?): para algumas escolas é fundamental que o professor tenha experiência, outras preferem professores que não tenham sido moldados. Neste aspecto o que mais observo é se o candidato tenha disposição para aprender cada dia mais. Sempre há uma primeira vez, ninguém nasce ensinando. Nós como coordenadores temos com maior função seguir os avances do professor, orientá-lo e ajudá-lo para que possa se adaptar à metodologia da escola tenha experiência ou não. 
- Atualização (tem ou não, com que frequência?): é muito importante ter professores atualizados e uma de nossas maiores tarefas é orientá-los para que participem de cursos de capacitação. Duas cabeças pensam mais do que uma, em palestras, cursos, etc. os professores têm a oportunidade de conhecer outros pontos de vista e enriquecer os próprios.
- Outros idiomas: às vezes temos alunos que não são brasileiros, assim que um professor de espanhol ou inglês que domine outras línguas pode ser muito útil, mas já isto vai depender do perfil da escola.

Uma coisa que me incomodava muito quando professora e que como coordenadora evito é achar que todo professor vai aceitar a proposta que a escola tem para a vaga oferecida. Isso é um erro grave, perde tempo você e o candidato, assim que à hora de descrever a vaga a primeira coisa que você deve colocar é o salário, os benefícios, a carga horária e a localização da empresa para que enviem o currículo aqueles que realmente têm interesse na vaga.

Deixo um exemplo de descrição de vaga: 

- Nome da empresa: XXXXX
- Ramo: Educação/ Treinamento/ Idiomas
- Vaga: Professor de espanhol brasileiro ou nativo
- Descrição: Irá ministrar aulas para adultos, criar atividades, corrigir provas e ministrar workshops.
- Qualificação: Possuir conhecimento em informática, pacote Office, familiaridade com Lousa Interativa é desejável.
- Formação: Preferivelmente formado em Letras - Espanhol.
- Local: Perto do metrô Santa Cruz, linha verde – SP
- Forma de contratação: Efetivo CLT
- Benefícios: Vale de transporte, participação dos lucros da empresa, plano de saúde.
- Carga horária: 12 horas por semana.
- Horário: Tarde, noite
- Experiência: Não é relevante
- Salário: R$ 25 a hora aula.
- Idade: 25 a 45 anos
Tente sempre especificar o que você deseja, evitará ter que ler currículos que não são relevantes e economizará tempo que poderá ser empregado em outras ações.

Outra interrogante é onde captar os professores?
Atualmente quase toda empresa possui site, coloque em alguma parte: Trabalhe conosco. Isto é muito importante porque você adquire uma lista de nomes relevantes. Recomendo fazer uma base de dados com os currículos cadastrados para quando a empresa precisar. É muito importante dar uma satisfação para esse professor, há um sistema que gera e-mails automáticos, assim que ao receber um currículo enviem uma mensagem como esta:

Estimado professor XXXXX:

Agradecemos por entrar em contato conosco e pelo interesse em formar parte de nossa equipe. Encaminhamos seu currículo ao departamento de Recursos Humanos para análise. Quando tenhamos alguma proposta lhe contataremos.
Atenciosamente,
XXXXXXXXXX

Caso você não tenha uma base de dados, há algumas disponíveis na internet, mas você precisará pagar. Algumas são: 

2. Analise do currículo dos candidatos

O currículo é um papel que suporta tudo o que você colocar, portanto, não pode confiar 100% nele e mesmo que você possa verificar algumas das informações é um gasto de tempo desnecessário. Será este o primeiro voto de confiança que você dará ao candidato.
Quando analiso um currículo a primeira coisa que observo é a formatação, a organização e a ortografia. Esses aspetos falam mais do candidato que qualquer outra coisa que possa estar escrita no papel.
O segundo passo é analisar currículo por currículo comparando-os com os filtros da descrição da vaga feita no ponto anterior.   
Você deve ler todos os currículos. É errado pegar dois ou três e ligar para marcar entrevista. Sabe por quê? Porque talvez o número quatro fosse o professor que você necessitava.
Enquanto leio os currículos faço anotações ou observações em cada um que posteriormente me auxiliarão na seleção dos melhores candidatos. Veja um exemplo de anotação:

O professor (XXX) é jovem (27 anos) não é nativo, mas têm mestrado em Letras. Por outro lado obteve o DELE, mas não informou o nível.  Morou dois anos em Uruguai e já tem dois anos de experiência como professor de espanhol. Tem várias atualizações e domina o inglês. Mora perto da escola e têm disponibilidade de horário.

Ao final, você vai ler essas anotações e selecionar os candidatos que mais perto estejam do perfil descrito.
Posteriormente você lhes envia um e-mail como este a aqueles professores que se adéquam ao perfil da vaga:

Estimado professor (a) XXXX

Queremos informar-lhe que seu currículo foi selecionado para participar de nosso processo de seleção.
Gostaríamos de convidá-lo/la a nossa pré-seleção que inclui uma avaliação de conhecimentos da língua espanhola/inglesa e uma entrevista.
Para esta etapa necessitará apresentar-se neste endereço: XXXX, no dia XX no horário XX.
Aguardamos a confirmação de sua presença.

Atenciosamente,
XXXXXXXXX

3. Avaliação e entrevista

Cada escola determina a forma de avaliação que fará. De forma geral, o que acontece nas escolas de idioma é que já existem provas prontas para cada língua. Estas provas permitem avaliar a parte de conhecimentos gerais e a redação.
A avaliação deve medir de forma geral:
Perguntas de múltipla escolha:
- Gramática
- Léxico
- Correção de erros
- Compreensão leitora
- Compreensão auditiva
Perguntas de expressão escrita:
- Conhecimentos teóricos
- Habilidades didáticas
- Conhecimentos pedagógicos
Para acessar a modelos de perguntas faça clique aqui.

Eu recomendo fazer a avaliação escrita e a entrevista no mesmo dia. Você evita que o professor perca tempo e dinheiro em transporte, que está bem caro.

A entrevista:

Neste momento você é um observador. O mais importante não é aquilo que o professor fala com as palavras e sim aquilo que o corpo dele nos diz.
Preste atenção na postura, nos gestos, no tom da voz, na fluidez da conversa, etc. Há qualidades que são próprias de um professor: improvisar, ser agradável, ter domínio do discurso, ser coerente, etc..

É importante lembrar que a entrevista tem como objetivo:
1. Conhecer pessoalmente ao candidato.
2. Ouvir sua trajetória profissional.
3. Esclarecer alguns aspetos do currículo.

Segue um roteiro de perguntas que podem nos ajudar a conversar no mínimo por 20 minutos:

1. O que você pode fazer por nossa empresa que outro candidato não pode?
2. O que você sabe sobre nossa empresa?
3. Por que você está procurando um cargo em nossa empresa?
4. Que qualificações você tem que o fariam ser bem sucedido aqui?
5. O que é mais importante para você no trabalho?
6. Descreva uma situação na qual você teve um problema difícil e como o resolveu.
7. Descreva o seu ambiente ideal de trabalho.
8. Com que tipo de pessoas você tem dificuldade para trabalhar?
9. Se você pudesse começar tudo de novo o que você faria diferente em sua carreira?
10. O que mais o motiva?
11. Quais são suas metas em longo prazo?
12. O que você faria se planejou uma aula para quatro alunos e faltam três?
13. O que você faria se um aluno começa a faltar muito e lhe comunica que deseja abandonar o curso?
14. Como seria o primeiro dia de aula para um aluno A1?
15. O que você faria se em sala de aula se houver um aluno que fala muito e não deixa aos outros participarem?
17. Em sua opinião qual é o método mais efetivo para aprender uma segunda língua?

Mesmo que você se guie por um roteiro, tente que a conversa seja natural, fluida, pense em aquelas coisas que para você são relevantes e estabeleça uma conversa descontraída.

Posteriormente, para aqueles que passaram em esta etapa (avaliação escrita e entrevista) você pode enviar um e-mail como este:

Estimado professor (a) XXXXX

Queremos informar-lhe que você foi aprovado (a) em nossa pré-seleção.
Gostaríamos de convidá-lo/la a participar da próxima etapa: Dinâmicas de grupo. Que será realizada neste local XXXX, no dia XX, no horário XXX.
Por favor, confirme sua presença.

Atenciosamente,
XXXXXXXXXX

Por consideração, para aqueles professores que não passaram nesta etapa também dei uma satisfação com um e-mail como este:

Estimado professor (a) XXXXX

Queremos informar-lhe que não foi aprovado em nossa pré-seleção.

Agradecemos sua participação.

Atenciosamente,
XXXXXXXXXX


4. Dinâmicas de grupo

As dinâmicas de grupo consistem na realização, por parte dos candidatos, de uma serie de atividades com a finalidade de que os selecionadores possam observar e avaliar o comportamento e atitude dentro de um grupo de trabalho.
Nesta etapa se valoram aspetos difíceis de medir em uma entrevista. Alguns dos aspetos observados podem ser:
- Capacidade de comunicação.
- Capacidade de trabalho em equipe.
- Capacidade de resolução de problemas.
- Capacidade de persuasão.
- Controle emocional.
- Iniciativa.
- Habilidades sociais.
Existem inúmeras dinâmicas de grupo. Eu vou deixar três nas que você pode medir as seguintes características: maturidade, criatividade, inovação, estabilidade emocional, adaptabilidade, flexibilidade, tolerância à pressão, iniciativa, controle do tempo, planejamento, organização, capacidade de comunicação, estilo de liderança, capacidade de análise, cooperação, habilidades de negociação, habilidade de resolução de problemas, etc.

Exemplos de dinâmicas de grupo:

1. El bote salvavidas 
Entregue uma personagem a cada professor: mulher grávida, idoso, gerente de um banco, médico... E coloque a seguinte situação:

“Se encuentran en un crucero por el Atlántico, pero una gran tormenta arremete  contra el barco y lo parte en dos. Todos deben subir al bote salvavidas. El problema es  que sólo hay espacio y comida suficiente para 9 y son 10. Uno de ustedes debe  sacrificarse para salvar al resto. La decisión de quién abandona el bote debe ser tomada  por el grupo, no se aceptará ninguna tomada de manera individual. Disponen de 5  minutos para “abogar por su caso”, dando razones de por qué debe vivir. Tras los argumentos de todos los participantes deben decidir quién abandona el barco” 

2. Isla desierta 
Imaginad que os encontráis en un naufragio. A duras penas habéis conseguido 
llegar a una isla donde tendréis que pasar tres años de vuestra vida, sin salir de allí. Tenéis que poneros de acuerdo entre todo el grupo para decidir qué tres objetos de la 
lista decidís llevaros. 

Lista de objetos que podéis elegir: 
1. Un equipo completo de pesca. 
2. Dos palas y dos picos de jardinería. 
3. Tres raquetas de tenis y veinte pelotas. 
4. Dos guitarras. 
5. Veinte pastillas de jabón. 
6. El cuadro de la Gioconda. 
7. Diez películas y un proyector de pilas. 
8. Una mochila para cada persona del grupo. 
9. Cien rollos de papel higiénico. 
10. Una vaca y un toro. 
11. Cien cajas de conservas surtidas. 
12. Cien libros de literatura clásica. 
13. Cien botellas de bebidas alcohólicas. 
14. Un Jeep nuevo. 
15. Una barca de remos. 
16. Diez barras metálicas. 
17. Cien cajas de cerillas. 
18. Un caballo de seis años. 
19. Una buena cantidad de penicilina. 
20. Cien paquetes de tabaco. 
21. Tres barajas de cartas. 
22. Un gato siamés. 
23. Artículos de tocador y de belleza. 
24. Semillas de diversas clases. 
25. Una máquina de escribir. 
26. Cinco armarios llenos de ropa. 
27. Veinticinco fotografías de personas queridas. 
28. Cinco mil hojas de papel para escribir. 
29. Un fusil y cien balas. 
30. Un equipo de pinturas al óleo y treinta tubos de recambio 
31. Cien discos y un tocadiscos de pilas. 
32. Un Cadillac y cuatro mil litros de gasolina. 
33. Material para hacer un reportaje fotográfico. 
34. Dos tiendas de campaña de tres plazas cada una. 
35. Tres camas muy grandes. 
36. Una batería de cocina” 

3. Cápsula do tempo
Seleccionen 5 objetos para colocar dentro de una cápsula do tempo que será abierta en 100 años.

É importante que exista mais de um observador e que se tome nota porque as coisas se esquecem. Os candidatos devem ter o nome visível em alguma parte para poder identificá-los.
Depois você deve enviar um e-mail como este aos professores que passem nesta etapa:

Estimado professor (a) XXXX

Queremos informar-lhe que foi aprovado (a) na dinâmica de grupo.
Gostaríamos de convidá-lo/la a participar da próxima etapa: Capacitação didática. Será no dia XX, no horário XX, no local XXXX.
Por favor, confirme sua presença.

Atenciosamente,
XXXXXXX

4. Capacitação didática

Nesta etapa já estão os candidatos que ocuparão as vagas. Este momento tem como objetivo mostrar para os professores o método de ensino da escola em que irão trabalhar. Você irá a compartilhar a filosofia de ensino, a missão e a visão da instituição. No final deve verificar-se se o candidato:
- Possui o conhecimento das normas e métodos usados pela escola.
- As habilidades exigidas para ocupar a vaga.
- A mesma visão pedagógica da escola.

Passos importante para a capacitação:

Uma boa capacitação deve contar com o mínimo de 12 horas.
Você pode dividir essas horas segundo seus objetivos. Segue uma sugestão dos tópicos que podem ser abordados:
1. Explicação teórica da metodologia da escola.
2. Como usar o material didático da escola.
3. Normas da escola
4. Apresentação de um plano de aula e de uma aula demonstrativa por parte do coordenador usando os materiais da escola.
5. Entrega e discussão de um modelo de plano de aula e apresentação de uma aula demonstrativa por parte do candidato.
Do número um ao número quatro varia de escola para escola, mas o número cinco é um ponto importante que deve ser comentado.

5.  Aula demonstrativa:

Até agora você verificou os conhecimentos do professor sobre língua espanhola, como ele interage com as pessoas e os conhecimentos teóricos e pedagógicos que ele tem sobre plano de aula e métodos de ensino, porém você não sabe como se movimenta o professor dentro da sala de aula nem como interage com os alunos. A aula demonstrativa vai nos permitir observar os pontos fortes e fracos dos professores nesse último aspecto.
Há coordenadores que entregam uma unidade do livro ao professor para fazer o plano de aula em casa e apresentar. Eu prefiro que o professor faça isso na escola por vários motivos, ele vai me demonstrar sua capacidade de improvisar, criatividade e conhecimentos reais porque não terá como fazer consultas. Então eu faço o seguinte: entrego uma unidade do livro peço para criar um plano de aula como eles fariam normalmente. Depois entrego folha, cores, tesoura, cola e revistas... E peço para criar os materiais extras que usariam na aula e finalmente os professores ministram uma aula demonstrativa baseada no plano de aula criado em um primeiro momento.
Enquanto os professores ministram a aula, os outros professores adotam o rol de alunos e participam dela normalmente.  
O mais importante desta etapa é a retroalimentação. No final, você deve comentar individualmente com cada professor como foi a apresentação da aula, parabenizá-lo pelos pontos positivos e orientá-lo para que melhore os pontos fracos.
Você também pode fazer comentários gerais com todos os professores das cosas boas apresentadas por cada um.

6.  Relatório:

O relatório é uma das partes mais importantes do processo de seleção. Você arquivará o currículo de cada candidato com as anotações feitas durante todo o processo. É como abrir um prontuário que servirá para o desenvolvimento do plano de carreira desse professor, e o mais importante, servirá de guia para se no futuro você já não estiver na escola o próximo coordenador saiba um pouco da trajetória de cada professor.

Isso é tudo, até a próxima semana. Deixe seus comentários e experiências no final do artigo, podem ser muito úteis para outros colegas. 

quinta-feira, 10 de outubro de 2013

Introdução - Curso de formação para coordenadores pedagógicos em escolas de idiomas

1. O papel do coordenador pedagógico

O coordenador pedagógico é o mediador entre professor-aluno, professor-pai e professor-empregador. Parece uma função simples, mas não é.
Se você prestar atenção na maioria das escolas de idioma, o coordenador não para resolvendo problemas o tempo todo. Então você poderia pensar que ele é como um bombeiro que apaga incêndios e salva vidas, mas eu pergunto: será que um bom coordenador apaga incêndios? A resposta claramente é NÃO. Um bom coordenador é aquele que evita o incêndio com ações planejadas, é aquele que a equipe de professores, os alunos, os pais e o empregador enxergam como organizado, confiável, empreendedor, proativo e principalmente como líder. 
Segue um resumo das atividades que deve realizar um coordenador pedagógico, estas estão estreitamente relacionadas com o papel que este desempenha dentro da escola:
- Mediar entre alunos, pais, professores e empregadores.
- Planejar, organizar e administrar os recursos humanos, a abertura de turmas e a distribuição da carga horária.
- Elaborar projetos de cursos que se correspondam com as necessidades do público alvo.
- Selecionar, criar e organizar o material didático para tornar os cursos mais atrativos.
- Selecionar professores, capacitá-los e motivá-los a uma constante atualização.
- Acompanhar o percurso dos alunos e professores, escutar ambas partes e solucionar problemas que eventualmente possam surgir.
Como coordenador de uma escola de idiomas você deve ter domínio da metodologia seguida pela instituição e dos idiomas que a escola oferece. Sabemos que esta segunda parte é difícil, o coordenador, geralmente, apenas domina o idioma inglês e o curso de espanhol fica quase abandonado. Esse é um dos maiores problemas das escolas de idioma que analisaremos no decorrer do curso.

2. Características do coordenador pedagógico

- Ser um líder é uma das principais características de um bom coordenador. Na literatura, alguns autores defendem a hipótese de que um líder pode se formar, porém, sou da opinião de que se nasce líder. Você pode até possuir todas as características que citarei a continuação, mas se você não for um líder nato o barco não vai andar de forma espontânea.
- Ser organizado é, em minha opinião, a segunda característica mais importante. O êxito de seu trabalho, como professor ou como coordenador, vai a depender da organização e o planejamento que você faça de tudo. Evitam-se problemas, perdas materiais, financeiras, humanas e de tempo através de uma boa organização. Em outro momento falaremos de como deve organizar-se um coordenador, já temos falado  várias vezes da importância deste tópico como professores. Como coordenadores as conclusões são as mesmas: se você não é um professor organizado tampouco será um coordenador organizado.
- Ter habilidades comunicativas é fundamental, você é um mediador, tem que aprender a escutar mais do que falar, é através da comunicação que você fica perto ou longe do recurso mais importante que você tem dentro da escola: os professores. É mediante a comunicação que você evita perder alunos, que conhece as necessidades dos clientes e que encontra soluções para possíveis dificuldades que possam surgir no caminho. É a comunicação a que nos distingue entre o resto das espécies de animais. Faça uso dela.
- Um coordenador deve ser empreendedor, proativo e criativo, ele precisa ter visão para se antecipar aos problemas, para elaborar soluções eficientes e eficazes, para estudar o mercado, para perceber os novos nichos e oportunidades, assim como para poder sobreviver à competência.
- Precisa muito gostar de trabalhar com pessoas, você vai ficar rodeado de pessoa (professores, alunos e pais), muitas vezes pessoas com problemas, portanto, a humanidade, a solidariedade e o amor ao próximo são características essenciais para ter êxito como coordenador. Você tem uma segunda família: os professores. Eles são seus irmãos, todos devem cuidar-se. Os professores não são descartáveis, você não se desfaze de um irmão quando está em dificuldades, pelo contrário, você fica a seu lado. Cuide a sua família que ela cuidará de você.
- Conhecimentos linguísticos e pedagógicos. É impensável que um coordenador careça disso, precisa conhecer a metodologia da escola, ter um domínio pleno de um língua e parcial das outras que sejam oferecidas pela escola. 
- Conhecer e dominar sua função, assim como as normas e regras estabelecidas pelos donos da escola.
- Domínio da tecnologia. Vivemos em um mundo que muda constantemente, se a escola não evoluciona, morre. A escola é um sistema, se ela não atinge as expectativas dos clientes e outro sistema oferece aquilo que o cliente quer, vai chegar um momento em que você, como escola vai deixar de existir. É impressionante como ainda há escola que nem DVD têm, só a lousa e no máximo uma rádio. Sabemos que os recursos financeiros não ficam em nossas mãos quase nunca, mas como bons mediadores devemos saber comunicar aos nossos empregadores aquilo que a escola precisa para ficar à altura da competência e das necessidades dos clientes. Definitivamente, a tecnologia é uma dessas necessidades.

3. Cultura organizacional

Toda instituição tem uma personalidade, uma forma de ser que a distingue das outras, uma cultura organizacional com base em um conjunto de crenças, valores e costumes compartilhados por todos. Esta cultura responde a normas que regulam a vida da instituição.
Observe os elementos dinâmicos da cultura organizacional: 

- Fundadores: são eles os que estabelecem as normas e são os principais responsáveis na formação da cultura organizacional da escola, mas você como coordenador tem a função de mediar e negociar com os fundadores os valores que deve abraçar a empresa para ter um melhor desempenho com relação à competência e a uma maior aceitação por parte dos clientes.
- Estrutura: Já você trabalhou em uma empresa na que ninguém sabia nada: nem o coordenador, nem a secretária nem os professores; todos chegavam atrasados; o professor somente sabia os grupos que tinha quando ia começar o curso  e os alunos nem sabiam a sala de aula em que iam a trabalhar?
Eu tenho certeza que sim. Esse comportamento, assim como o oposto, são o reflexo da forma de dirigir uma empresa que repercute na estrutura, organização, planejamento e controle dos recursos humanos e financeiros. Geralmente as escolas de idioma têm uma estrutura hierárquica, a base da pirâmide não tem voz nem voto, somente recebem e executam ordens. Esse modelo de empresa está caducando, a sociedade está exigindo empresas menos autoritárias com profissionais mais responsáveis e com mais liberdade, com grande dedicação ao cliente, empresas que procuram: uma qualidade total,  melhoras e inovações contínuas e trabalho em equipe.
- Estilos de direção: os estilos de direção são os que modelam a estrutura da empresa, como já disse a liderança autoritária está fora de moda, atualmente, você como coordenador deve ser um líder democrático que ganhar a confiança de seus professores com conhecimento, respeito, trabalho em equipe, etc. Um líder democrático delega tarefas e acompanha os resultados, você não pode fazer tudo sozinho como  faz o líder autoritário, isso é um erro que fere a confiança, a participação e o entusiasmo da equipe de professores, você precisa confiar em sua família. Em minha opinião o pior coordenador é aquele que diz que tudo está bem, que não controla nada, que deixa que todos façam qualquer coisa, que não orienta aos professores e que quando a escola pega fogo a culpa é do coitado professor que termina pagando os pratos que foram quebrados. 
- Direcionamento estratégico: você deve observar constantemente à competência e os resultados que eles e vocês estão tendo para modificar mediante estratégias os serviços oferecidos, assim atingirão com eficiência e eficacia as metas da instituição. Recomendo, mais que captar novos clientes, manter a fidelidade dos que já foram conquistados. No decorrer do curso veremos algumas estratégias para captar e manter clientes.
- Talento humano: como coordenador é você quem decide os valores e habilidades que devem ter os professores que farão parte da equipe docente segundo a cultura organizacional da escola. É comum encontrar escolas contratando professores acima da hora, isto é produto de um conjunto de fatores que discutiremos em outro artigo. O problema é que esta atitude somente deixa clientes insatisfeitos e professores frustrados que podem se achar incompetentes quando o que realmente aconteceu é que não compartilhavam a cultura da escola.
- Sistema de apoio: a escola deve ter válvulas de escape, deve ter sempre um plano B, C e D... A escola como sistema não pode estar isolada porque morre, você é um dos principais responsáveis por mantê-la viva.
- Autonomia individual: já você trabalhou em escolas em que o professor não tem autonomia nenhuma dentro da sala de aula? Isso está muito errado, o professor deve ser criativo, aportar ideias novas sempre que não fujam muito da metodologia e cultura da escola. Como coordenador você precisa estimular a autonomia dos professores, fazer que eles se sintam importantes e parte da família, está é a melhor recita para ter uma equipe competente e feliz. Faça valer a voz de seus professores.
- Sistema de reconhecimento e recompensa: as escolas de idioma querem professores felizes e disponíveis 24 horas do dia, que trabalhem muito e bem etc., porém a realidade é que a maioria delas nem registram em carteira aos funcionários. O coitado do professor tem que trabalhar em 4 ou 5 escolas para completar a renda, as escolas tampouco  não pagam feriados nem férias porque parece que em esse período o professor não paga contas. Não é bem assim, esse é um dos principais motivos pelos que as escolas de idioma mudam de professor como de sapato e isso é muito ruim para a cultura da empresa. Deve-se reconhecer e recompensar aos funcionários. Se você quer funcionários que se sintam parte da família, realize ações que façam isso acontecer. No decorrer do curso analisaremos algumas formas de reconhecimento e recompensa que podem lhe ajudar a manter a sua equipe unida por vários anos.
- Estímulo ao risco: a empresa precisa inovar, não pode ter medo ao fracasso. Não podemos esperar resultados diferentes se fazemos sempre as mesmas coisas. Há que elaborar projetos sempre mostrando os resultados esperados para que os donos aprovem novos produtos e serviços que podem ser de benefício para todos. 
- Valores e crenças compartilhadas: Todos os membros da empresa são importantes desde os donos até as faxineiras. Todos devem sentir-se parte da empresa, compartilhar os mesmos valores e crenças, ser somente um.
Observe o resultado de uma empresa com uma boa cultura organizacional: 

Você como líder influencia diretamente nos valores culturais e éticos ao articular com claridade uma visão dos valores organizacionais em que os funcionários podem acreditar: honestidade, trabalho em equipe, produtividade, pontualidade, comprometimento, confiança, responsabilidade e eficiência podem ser alguns deles.


4. Critérios para a abertura de turmas
Basicamente há cinco critérios que você deve seguir ao abrir turmas novas e principalmente ao unir grupos quando ficam muito pequenos:
- Idade: você pode formar turmas heterogenias, mas tome muito cuidado, já trabalhei em um grupo com um aluno de 11 anos e um idoso de 60, imaginem o dilema. Quando você forme turmas tenha presente não colocar junto pessoas com tanta diferença de idade porque os interesses são muito diferentes, as atividades, as músicas, os gostos, tudo é quase oposto, isto vai prejudicar o desenvolvimento do grupo como um todo.
- Quantidade: sabemos que escolas de idiomas, ás vezes, têm mais de 15 alunos por grupo. Isso ao final não é bom o aluno termina não aprendendo e trancando a matrícula. O número ideal é seis e é admissível até oito. Dei preferência a números pares. Um número reduzido de alunos aumenta a qualidade do curso e a satisfação do cliente que não só vai ficar no seguinte semestre, também vai recomendar a escola.
- Nível do aluno: quando era professora de escolas de idioma sofria muito quando tinha alunos com níveis muito diferentes. Colegas, façam provas de níveis, se o aluno não se encaixa em nenhum grupo é melhor deixá-lo ir, não coloque ao cliente em qualquer grupo por não perdê-lo porque vai terminar perdendo o grupo inteiro. Não há nada pior do que ter um aluno "perdido" dentro da sala de aula e você ter que repetir 10 vezes coisas que o grupo original já sabe, cria desmotivação. O contrário também é muito ruim, um aluno que sabe muito em um grupo menos avançado frustra aos colegas porque geralmente fala muito e os demais ficam sem graça e o novo aluno pode sentir que não está aprendendo nada. Às vezes, menos é mais.
- Horário e dias da semana: geralmente todos querem estudar no mesmo horário, as turmas acostumam ser segunda e quarta, terça e quinta, sábado e alguns grupos na sexta-feira. Quando são dois dias é uma hora e quinze minutos de aula por dia e quando é só um dia são duas horas e meias. Você deve abrir diferentes horários e negociar com os alunos o melhor para eles.
- Professores: os alunos sempre querem saber de onde é o professor, se tem experiência, se tem viajado a vários países, etc. Se você tiver mais de um, pode criar o perfil deles e colar em alguma parte da escola com depoimentos de antigos alunos. Assim eles podem escolher segundo seus interesses. Também pode oferecer aulas demonstrativas, são bem legais para os alunos ficar empolgados em começar o curso.
Bom, isso é tudo por hoje. Espero que seja de ajuda. Até a próxima semana! Deixe sua opinião e experiência nos comentários. A experiência de você pode ser de ajuda para outras pessoas.

sexta-feira, 4 de outubro de 2013

Curta-metragem "Ojalá nunca..": atividade sobre pretérito pluscuamperfecto de subjuntivo em espanhol

Olá colegas!

Como já sabemos o curta-metragem é uma ferramenta muito útil no ensino de uma língua estrangeira, sempre que possível tento usá-los em sala de aula. O artigo de hoje é curto, só para deixar uma atividade que complementa a introdução do “Pretérito Pluscuamperfecto de subjuntivo” ao que podem acessar clicando aqui. Segue um slide com a atividade.


          

Para acessar ao curta-metragem clique aqui.

Passo a passo:

  1. Seguir as instruções dos slides.
  2. Colocar o curta-metragem e completar estas frases:
Ojalá no te _________ (conocer) nunca.
Ojalá no __________ (existir) ese verano.
Ojalá ___________ (pausarse) todo.
A cambio ________ (perder/yo) por no poder vivir.

Esse é um exercício de escuta muito bom porque o aluno tem que prestar muita atenção.
  1. Apresentar vocabulário do slide # 7.
  2. Fazer exercício do slide nove ao doze.
  3. Colocar os alunos em duplas para que conversem seguindo os comandos do slide # 14.
Boas aulas!

quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Curso de formação para coordenadores pedagógicos em escolas de idiomas

Olá colegas!
Muitos professores, de espanhol ou de inglês, no decorrer da carreira, passam a ser coordenadores da escola em que lecionam sem ter uma formação específica nesta área, muitas vezes, sem ter uma noção mínima sobre a função que deverão desempenhar. Isso traz consigo a frustração de todos os elementos da escola e, em muitos casos, até a falência.

A partir deste artigo, vou começar a produzir uma série de artigos que, em conjunto, poderão ser chamados de curso, com a finalidade de contribuir com a atualização de coordenadores ou de professores que futuramente tenham a intenção de assumir este rol.

Vou basear as dicas, ou vou me guiar, por um curso que fiz, faz algum tempo, na Universidade Anhembi Morumbi,  mas é claro que vou colocar muito da minha experiência pessoal e acrescentar algumas coisas que acredito faltaram ser apresentadas em aquele momento.

Sei que cursos de atualização são caros, nem sempre temos o dinheiro ou o tempo para investir neles, também há muitos professores que moram em cidades com menos possibilidades que São Paulo no ramo de atualizações pedagógicas. Por este motivo, achei uma boa ideia compartilhar com vocês as experiência que tive em alguns desses cursos e aqueles que virão pela frente.

Hoje, vou deixar o índice do curso que irei a compartilhar nos próximos meses. Se você estiver interessado, pode acessar ao blog semanalmente, pretendo criar um post sobre o assunto cada semana. O curso será dividido em oito capítulos.

- Objetivo do curso: Contribuir com coordenadores pedagógicos ou futuros coordenadores no processo de atualização através da revisão e apresentação de conceitos fundamentais para o desenvolvimento desta função.

- Índice do curso:

1. Introdução:
a) O papel e atividades do coordenador pedagógico
b) Características do coordenador pedagógico
c) Cultura organizacional
d) Critérios para a abertura de turmas

2. O processo seletivo: 
a) Descrição do perfil do candidato que necessitamos
b) Analise do currículo dos candidatos
c) Avaliação e entrevista
d) Dinâmicas de grupo
e) Capacitação didática
f) A aula demonstrativa
g) Elaboração do relatório

3. Acompanhamento: 
a) O plano de aula
b) Observação da classe
c) Retroalimentação
d) O arte de perguntar e escutar
e) Capacitação didática
f)  Reuniões pedagógicas
g) Reuniões com os pais
g) Pesquisa de satisfação
h) Reflexão final com os professores/Avaliação anual

4. Seleção do material didático
a) Metodologias
b) MCER – Marco Común Europeo de Referencia
c) O planejamento
d) A avaliação

5. Desenvolvimento de materiais extras:
a) Cadernos, materiais on-line, cartões, etc.

6.Plano de carreira para professores:
a) Definição de plano de carreira
b) Importância do plano de carreira
c) Elaboração de um plano de carreira

7. Gestão de conflitos
a) Alunos
b) Professores
c) Revertendo o processo de evasão
d) Campanha de rematrícula
e) Motivação

8.Gestão de projetos:
a) Cursos
b) Workshops
c) Certificados

Espero que seja muito proveitoso para todos. Quem quiser compartilhar suas próprias experiências pode comentar ao final dos artigo, tanto se você é coordenador ou professor porque ao final, são os professores a alma da escola, ninguém melhor do que eles para sugerir soluções e enxergar os problemas.

Boas aulas!